Nem sempre é o que se parece

Há muitas coisas que se parecem, e quando analisadas de forma mais precisa, percebe-se que não eram exatamente o que se parecia.
Na vida da gente também há sintomas, dores que se parecem algo, e ao final, descobrimos que era um outro tipo de dor. Não basta a gente tratar os sintomas, precisamos eliminar a causa da dor. 
Existem certas enfermidades em que a cura deve acontecer de dentro para fora, do interior para o exterior. Se você sente dor no peito por exemplo, comunique imediatamente o seu médico, mas diga também que é uma dor de tristeza, de angústia, de perda, de medo e insegurança.
Se você sofre de diabetes, relate ao seu médico, mas diga também, que não está encontrando mais doçura em sua vida, que a situação está difícil, e o peso das frustrações está duro de suportar.
Comunique que você sofre de enxaqueca, diga também, que muitas dores são devido ao seu perfeccionismo, sua ansiedade e sensibilidade à crítica alheia.

São tantas pessoas querendo curar-se de suas dores, mas não abrem mão de uma simples mágoa, não estão dispostos a neutralizar em si a calúnia, a inveja, o egoismo... venenos mortais.
Querem a desobstrução das artérias coronárias, mas mantém o peito fechado pelo rancor e agressividade. Querem enxergar melhor, mas não querem retirar a venda do criticismo de seus olhos. Clamam pela intercessão divina, porém permanecem surdos aos gritos de socorro de muitos próximos a si mesmos.
A metamorfose da cura da vida, deve começar de dentro para fora.

Família Alcará, neste final de semana está em festa.
I Encontro da Família.
Boas vindas a todos!


8 comentários:

  1. Lindo texto e desejo ótimo encontro de família! abração,chica

    ResponderExcluir
  2. Que beleza, encontro de família. Tomara que seja bastante prazeroso. Será, né?

    Gostei muito de tudo o que você dissertou aí, Nestor. "Clamam pela intercessão divina, porém permanecem surdos aos gritos de socorro de muitos próximos a si mesmos". É bem assim que caminha a humanidade, infelizmente.

    Façamos, cada um de nós, a nossa parte.

    Beijo.
    E feliz encontro da Família Alcará.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Milene, como vai?
      Se cada um de nós fizer a sua parte e bem feito, muitos conflitos internos e externos, serão resolvidos.

      Nosso encontro de família foi cansativo, porém maravilhoso.

      Abraços.

      Excluir
  3. Olá, Nestor! Concordo em gênero, número e grau com seu post. Acredito firmemente que grande parte das doenças que carregamos tem origem emocional, e como disse, os remédios podem curar o corpo, mas não a alma. Sempre que algum sintoma físico me parece persistente, dou uma pesquisada sobre qual pode ser a origem emocional, e passo a prestar atenção nesse sentimento...geralmente funciona. Estou para escrever uma postagem bem interessante sobre o assunto, referente à dores nas costas.
    Espero que o encontro em família tenha sido maravilhoso! Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Bia, tudo bem?
      A cura de muitos males externos, encontram-se dentro de nós e não há remédios que possam curar, a não ser fazendo as pazes com nossa consciência e emocional.

      Aguardo sua postagem sobre dores nas costas.

      Nosso encontro de família foi ótimo, obrigado!

      Abração.

      Excluir
  4. Nestor, voce dise tudo!
    A cura vem de dentro, do desejo de mudar e ser feliz!
    Nesta frase: "mas não abrem mão de uma simples mágoa, não estão dispostos a neutralizar em si a calúnia, a inveja, o egoismo."
    Voce tocou sabiamente no veneno que consome e estraga a vida.

    Beijos e bom domingo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sissym, tudo bem contigo?
      Por incrível que pareça, há muita gente que vive ingerindo e destilando seus venenos por aí. Preferem a solidão, o mundo das sombras a mudar e ser feliz.

      Abração e ótima semana pela frente.

      Excluir

Que legal! Família Alcará agradece ao seu comentário nota 10. Em breve estará disponível à todos.